Sol e cirurgia plástica não combinam

Verão tem que ter sol. E não só batendo na sua janela. É você com ele na praia, ao ar livre. Vamos aproveitar que vivemos num país tropical e nos deixarmos ser abraçados pelo sol.

Sol é saúde. Tomar sol é vital.

Pois todo bem-estar que precisamos, é entregue por ele através dos seus raios solares ultravioleta B. Um dos maiores protetores celulares, da pele e de todo o organismo, contra o câncer, é a vitamina D, além dela ainda ajudar a prevenir diversas outras doenças, como enxaqueca, transtorno de ansiedade, depressão, diabetes, Mal de Alzheimer, entre outras. E a vitamina D é fabricada na nossa pele a partir da penetração dos raios ultravioleta B do Sol, portanto, ele é a nossa principal fonte de vitamina D.

Os raios ultravioleta B – único comprimento de onda capaz de se transformar em Vitamina D – são bloqueados de penetrar na pele pelas roupas e protetores solares. Por isso, tomar sol diariamente, de roupa de banho, por 4 a 6 minutos, 3 minutos de frente e 3 minutos de costas (sem o protetor) são suficientes para manter os níveis desejáveis de vitamina D.

E acredite! É grande a parcela de pessoas com níveis insuficientes de vitamina D, tanto é que muitos artigos americanos a consideram como o possível nutriente do século.

Lembre-se: Sol traz vida, vitamina D, felicidade e saúde radiante! Aproveite se estiver de férias para banhar-se de luz, mas nunca em excesso!

Ao mesmo tempo em que o sol traz benefícios à saúde, ele também atrapalha o processo de cicatrização de uma cirurgia, que precisa passar por um reparo tecidual durante o pós-operatório.

O quanto mais afastado o paciente estiver da exposição solar neste período, melhor! Só que como o sol é fonte de saúde, é importante entender como fica a proibição para cada tipo de cirurgia plástica, e assim aproveitar o poder dos seus raios.

Então fica a pergunta: – Quais são os cuidados que uma pessoa candidata a uma cirurgia plástica deve ter com relação à exposição solar?

Depois de operada a pessoa deve evitar expor-se ao sol por um período mínimo de um mês e dependendo do tipo de cirurgia a que se submeteu, este tempo será maior e outras orientações serão repassadas para o conforto e uma melhor recuperação.

É importante entender que o processo de cicatrização sofre prejuízo se o paciente ficar exposto ao sol intenso, podendo causar:

  • Aumento do edema (inchaço), do eritema (vermelhão).
  • Aumento da dor.
  • Desconforto.
  • Aparecimento de manchas na pele e pigmentação das cicatrizes.

Estes cuidados devem ser ainda mais redobrados pelos pacientes submetidos à cirurgia durante o verão.

Os efeitos do sol à paciente da redução mamária

As notícias são boas para as pacientes que realizaram uma mamoplastia redutora há três meses, pois depois deste tempo poderão aproveitar esse verão indo à praia, entretanto devem tomar sol nos horários apropriados e jamais se excedendo.

De todo modo ainda não é o momento para expor as cicatrizes ao sol, pois o processo de cicatrização ainda está em andamento. E isso é REALMENTE NECESSÁRIO! Caso não se tome as medidas necessárias para esconder as cicatrizes, pode ocorrer a hiperpigmentação (escurecimento) das cicatrizes e prejudicar o resultado final.

A abdominoplastia é também realizada durante a estação de verão

O fato é que o uso da cinta modeladora após a cirurgia no abdômen pode não ser bem tolerado por certas pacientes, entretanto é indispensável e obrigatória na contenção de edema e oferece maior segurança. Há um equívoco nesse pensamento, pois essa sensação está mais relacionada a fatores pessoais do que à estação do ano em questão.

Também a maior firmeza dada aos músculos abdominais com a cirurgia reduz a distensão do abdômen e leva alguns dias para que a pessoa se adapte à nova condição. Por exemplo: com ou sem o verão a paciente deve limitar a quantidade de alimentos durante as refeições, pois, se fizer o contrário poderá sentir desconforto após a alimentação. Outro fator é a respiração que parece ser mais curta, devido ao tratamento dos músculos retos do abdômen, mas com o passar dos dias essa condição volta ao normal. Por fim, a maioria dessas condições nem tem relação alguma com o calor da estação.

Se a cirurgia foi no inverno está liberado tomar sol nesse verão?

Mesmo que do mês de agosto, por exemplo, já tenham se passado alguns meses, deve-se evitar o excesso de sol e proteger bem a região operada. Assim como recomendado para qualquer veranista é importante proteger a pele da queimadura solar, que traz prejuízos muito além do resultado da cirurgia.

A hidratação nesta época do ano é outra atitude a se tomar. O clima muito quente leva a um aumento da sudorese (suor), acarretando grandes perdas líquidas e de sais minerais, podendo levar à desidratação. Faça uma alimentação leve, saudável e mantenha o seu peso! Você não vai querer perder o seu bom resultado da lipoaspiração!

Dá tempo de pular carnaval depois da cirurgia feita em dezembro?

A paciente de uma lipoaspiração pode pegar sol somente depois de 2 a 3 meses de cirurgia, portanto, dependendo da data da sua cirurgia, o seu carnaval deverá ser adiado para o próximo ano, evitando assim o edema (inchaço) ou o aparecimento de manchas na pele.

Existe uma classificação que relaciona o tipo de pele à sensibilidade e a radiação ultravioleta. Verifique com o seu médico qual é o seu caso, pois assim ficará mais fácil controlar o desejo exacerbado pela exposição solar. É a seguinte:

  1. Branca, olhos azuis, sardentos = pele muito sensível – Sempre queima, nunca pigmenta.
  2. Branca, olhos azuis, verdes ou castanhos = pele muito sensível – Sempre queima, pigmenta pouco.
  3. Média das pessoas brancas = pele sensível – Queima e pigmenta moderadamente.
  4. Morena clara = pele pouco sensível – Queima pouco, sempre pigmenta.
  5. Parda = pele pouquíssimo sensível – Nunca queima, sempre pigmenta.
  6. Negra = pele resistente – Nunca queima, sempre pigmenta.

A cirurgia plástica nas pálpebras e no rosto não são contraindicadas durante o verão

Não existe contraindicação. O que há são cuidados a serem seguidos para a devida proteção das áreas operadas, apesar de que são medidas a serem feitas em qualquer época do ano. Em países tropicais como o Brasil temos sol quase o ano inteiro e mesmo em países com neve, os cuidados com a pele e exposição à luz solar refletida são similares.

Depois do lifting facial não é preciso evitar a exposição solar

Não é bem assim. Nesta idade, quando se está na menopausa ou andropausa, é muito aconselhado que se faça caminhadas ao sol amenizando inclusive os sintomas da osteopenia ou osteoporose, sendo que o sol com sua capacidade de oferecer vitamina D é o mais eficiente na prevenção dessas doenças.

Os danos causados pelo excesso de exposição à radiação solar não anulam seus efeitos benéficos no metabolismo do cálcio e vitamina D em nosso organismo. Sabendo usar o sol de forma adequada não há contraindicação e os riscos ficam bastante reduzidos.

Procure tomar sol no tempo necessário para receber os nutrientes e então proteja-se com chapéu e fotoprotetor adequado às necessidades da sua pele!

O bronzeamento artificial causa menos risco que o natural?

O bronzeamento artificial não causa descamação nem oferece risco de queimadura, porém é preciso orientação de um especialista quanto aos efeitos na pele. As câmaras de bronzeamento artificial geram 98% de luz ultravioleta A e 2% de ultravioleta B através de suas lâmpadas especiais. Está comprovado que os raios UVA naturais ou não, provocam envelhecimento precoce e podem também provocar câncer de pele se houver ação cumulativa. Seus efeitos nocivos não são visíveis de imediato. Peça orientações médicas extra com especialistas, informe-se bem e se fizer esse tipo de bronzeamento procure ter bom senso!

 

É possível bronzear-se sem comprometer a saúde da pele

Existem vários tipos de pele, com maior facilidade de pegar cor ou de se queimar, por isso é importante ficar atento a isso para saber se há maior ou menor resistência à exposição solar. E assim ter a possibilidade de tomar sol corretamente, reduzindo o risco de desenvolvimento do câncer de pele. Faça o seu bronzeamento aos poucos, tenha paciência, pense em sua saúde e na sua pele no decorrer dos anos seguintes!

O câncer de pele é o crescimento descontrolado de células anormais em uma das camadas da pele. O acúmulo de exposições solares e outros fatores individuais podem determinar a sua causa. Ocorre com mais frequência em áreas de maior exposição solar como: face, nariz, orelhas, pescoço, ombros e membros superiores. Vários são os tipos de câncer de pele, tendo como mais comum e de maior gravidade o melanoma.

Então se você estiver aproveitando a praia nesse verão, vale algumas dicas:

  • Use um bom chapéu para proteger as áreas sensíveis, como olhos, orelhas, rosto, pescoço e nuca.
  • Os óculos de sol com UV também auxiliam na proteção dos olhos, que podem sofrer no futuro com a catarata.
  • Se você estiver na sombra atente-se que a areia e o concreto refletem a radiação solar.
  • Aproveite o sol, as maravilhas do verão, a alegria, mas de maneira inteligente! Para chegar em casa ter um bom descanso a noite e continuar curtindo as férias no dia seguinte.

Se você está sem ideia do que fazer depois da cirurgia plástica, realizada durante o verão, leia no artigo “7 jeitos de tornar seu pós-operatório ainda mais agradável” !

E você, já fez ou pretende se submeter a alguma intervenção cirúrgica ainda neste verão? ESCREVA embaixo nos comentários as suas dúvidas!

Nenhum comentário.

Deixe um comentário